sábado, 28 de dezembro de 2013

Coletânea com os maiores Fails de 2013!


Chega mais um final de ano, e é hora de recordar os grandes momentos e proezas realizadas. E porque não, também os grandes fails do ano

Coletânea gringa com mais de 30 minutos destes grandes acontecimentos de 2013.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

As imagens mais marcantes de 2013


Mais um ano se acaba, e com a correria do nosso dia-a-dia, muitas vezes nem paramos para lembrar tudo aquilo que aconteceu ao longo do ano. Tragédias, momentos felizes, marcantes e emocionantes. Vale a pena assistir ao video!


terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Cia Aérea Atende TODOS os Pedidos de Natal dos Passageiros


Para fechar o ano com uma ação de marketing memorável, a Westjet, uma companhia aérea canadense, teve uma idéia inusitada e ao mesmo tempo genial. Ao invés da mesmice convencional, com enfeites de natal e cartões personalizados, a empresa colocou um Papai Noel Hi-Tech no meio do saguão, perguntando o que os passageiros da companhia queriam ganhar de presente.



Em posse dos pedidos, enquanto os passageiros embarcavam, uma equipe corria pela cidade, para comprar o presente escolhido. Assista, e assim como fez a Luiza, fique com vontade de morar no Canadá.

A Lucidez Perigosa







Estou sentindo uma clareza tão grande
que me anula como pessoa atual e comum:
é uma lucidez vazia, como explicar?
Assim como um cálculo matemático perfeito
do qual, no entanto, não se precise.
Estou por assim dizer 
vendo claramente o vazio.
E nem entendo aquilo que entendo:
pois estou infinitamente maior que eu mesma,
e não me alcanço.
Além do que:
que faço dessa lucidez?
Sei também que esta minha lucidez
pode-se tornar o inferno humano
– já me aconteceu antes.
Pois sei que
– em termos de nossa diária
e permanente acomodação
resignada à irrealidade –
essa clareza de realidade
é um risco.
Apagai, pois, minha flama, Deus,
porque ela não me serve para viver os dias.
Ajudai-me a de novo consistir
dos modos possíveis.
Eu consisto,
eu consisto,
amém.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Manobras radicais em bike speed!


Esse vídeo fantástico mostra manobras incríveis e muito habilidosas com bicicletas. O que mais impressiona, é que ao invés de utilizar montain bikes ou bmx, os atletas utilizam bike speed nas manobras.

E pra quem acha que tudo é perfeito... no fim do vídeo tem os erros de gravação. Tem tombo à beça!!!!

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Momentos Incríveis da TV ao vivo!!!

Segue uma seleção com alguns dos momentos mais incríveis transmitidos ao vivo, pelas emissoras de tv de todo o mundo.

Vale muito a pena assistir!!!


quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Como você reagiria ao ver uma cena de bullying?!?!?


Essa experiência feita por essa dupla em um Campus Universitário foi uma ótima idéia. E deixa um questionamento: qual seria a sua reação, caso presenciasse uma cena de Bullying?



terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Por que trazer uma criança a este mundo?



Um vídeo magnífico que passa uma mensagem de otimismo e esperança por dias melhores.

É o que queremos pros nossos filhos. É o que devemos buscar!

Benza Deus...

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

O dom da Dedicação!

A única coisa que separa um amador de um expert é a dedicação. Qualquer um pode ser um gênio se dedicar o tempo apropriado e manter o foco em se aprimorar. O melhor de tudo é saber que nunca é tarde.

Sempre ouço pessoas dizendo que não começam a aprender uma nova língua ou um instrumento musical porque deveriam ter iniciado mais cedo, quando crianças. Pior, escuto pessoas extremamente capazes dizendo que não têm talento natural para uma determinada atividade. Muito provavelmente essas pessoas estão enganadas e subestimam a própria capacidade. Se você tiver 30 anos e começar a aprender piano seriamente amanhã, chegará aos 50 anos de idade com 20 anos de prática e poderá ser um prodígio. Se começar com 50, aos 70, será um dos melhores pianistas da terceira idade. A idéia de que qualquer pessoa tem o potencial para se tornar um expert ou adquirir uma habilidade tem recebido cada vez mais fundamentos científicos.

Com exceção das limitações físicas de cada indivíduo, acredita-se que os ditos “dons naturais” sejam mera consequência da capacidade de concentração em uma determinada atividade. O talento parece ser resultado direto da dedicação, ou do desejo de fazer melhor. Em teoria, qualquer pessoa com dedicação suficiente para melhorar em uma atividade ficará melhor nela com o tempo. Essa conclusão vem do trabalho do neurocientista K. Anders Ericsson, da Universidade Estadual da Flórida, nos EUA.

Anders estuda gênios, prodígios e experts por mais de 20 anos. Observando o processo de aprendizagem desses “talentos”, concluiu que não basta apenas a repetição incansável, mas procurar por um nível de controle em cada aspecto da atividade escolhida. Ou seja, cada sessão é uma tentativa de fazer melhor que a anterior. A maioria dos amadores chega somente até um estágio de conforto e não dedica tempo suficiente para melhorar. A falta de ambição nos torna medíocres.


A implicação dessa observação é simples. Qualquer um determinado a gastar mais tempo em uma atividade, procurando melhorar a cada repetição, pode se tornar um expert – brilhante até. Portanto, a parte genética ou o ambiente do indivíduo não contribui mais do que para 1% do sucesso. É possível que esse 1% seja o diferencial para ser o melhor do mundo, mas não contribui para você se tornar brilhante em alguma atividade. Veja no gráfico acima que a maioria das pessoas acaba em três categorias ao começar uma atividade nova: expert, amador ou desistente. Os desistentes são aqueles que decidem que não vale a pena continuar. A classe dos amadores é intrigante, pois são os que ficam satisfeitos com o nível em que estão. Reconhecemos esse padrão quando falam “Sei que poderia fazer isso de outra forma, mas está funcionando assim então não vou mudar”. Em outras palavras, eles passaram a desgastante fase inicial e não querem entrar numa outra fase de estresse.

Ao meu ver, esse é o grande diferencial dos experts. O salto para longe do amadorismo e zona de mediocridade consiste em quebrar a barreira da paixão. A atividade fica tão prazerosa que nos apaixonamos por ela. E é esse sentimento, essa sensação que nos motiva a seguir melhorando.

Fonte: http://g1.globo.com/platb/espiral/2012/08/15/o-dom-da-dedicacao/
 

"Cuidado com os BURROS MOTIVADOS!!!"



A revista Isto é publicou esta entrevista por Camilo Vanucci, gostei e resolvi compartilhar.

O entrevistado é Roberto Shinyashiki, médico psiquiatra, com Pós-Graduação em administração de empresas pela USP, consultor organizacional e conferencista de renome nacional e internacional.
Em “Heróis de Verdade”, o escritor combate a supervalorização das Aparências, diz que falta ao Brasil competência, e não auto-estima.

ISTOÉ – QUEM SÃO OS HERÓIS DE VERDADE?

Roberto Shinyashiki — Nossa sociedade ensina que, para ser uma pessoa de sucesso, você precisa ser diretor de uma multinacional, ter carro importado, viajar de primeira classe.
O mundo define que poucas pessoas deram certo. Isso é uma loucura.
Para cada diretor de empresa, há milhares de funcionários que não chegaram a ser gerentes.
E essas pessoas são tratadas como uma multidão de fracassados.
Quando olha para a própria vida, a maioria se convence de que não valeu a pena porque não conseguiu ter o carro nem a casa maravilhosa.
Para mim, é importante que o filho da moça que trabalha na minha casa possa se orgulhar da mãe. O mundo precisa de pessoas mais simples e transparentes.
Heróis de verdade são aqueles que trabalham para realizar seus projetos de vida, e não para impressionar os outros.
São pessoas que sabem pedir desculpas e admitir que erraram.

ISTOÉ — O SR. CITARIA EXEMPLOS?

Shinyashiki — Quando eu nasci, minha mãe era empregada doméstica e meu pai, órfão aos sete anos,empregado em uma farmácia .
Morávamos em um bairro miserável em São Vicente (SP) chamado Vila Margarida. Eles são meus heróis.
Conseguiram criar seus quatro filhos, que hoje estão bem.
Acho lindo quando o Cafu põe uma camisa em que está escrito “100% Jardim Irene”.
É pena que a maior parte das pessoas esconda suas raízes.
O resultado é um mundo vítima da depressão, doença que acomete hoje 10% da população americana.
Em países como Japão, Suécia e Noruega, há mais suicídio do que homicídio. Por que tanta gente se mata?
Parte da culpa está na depressão das aparências, que acomete a mulher que, embora não ame mais o marido, mantém o casamento, ou o homem que passa décadas em um emprego que não o faz se sentir realizado, mas o faz se sentir seguro.

ISTOÉ — Qual o resultado disso?

Shinyashiki — Paranóia e depressão cada vez mais precoces.
O pai quer preparar o filho para o futuro e mete o menino em aulas de inglês, informática e mandarim.
Aos nove ou dez anos a depressão aparece.
A única coisa que prepara uma criança para o futuro é ela poder ser criança.
Com a desculpa de prepará-los para o futuro, os malucos dos pais estão roubando a infância dos filhos.
Essas crianças serão adultos inseguros e terão discursos hipócritas.
Aliás, a hipocrisia já predomina no mundo corporativo.

ISTOÉ – Por quê?

Shinyashiki — O mundo corporativo virou um mundo de faz-de-conta, a começar pelo processo de recrutamento.
É contratado o sujeito com mais marketing pessoal.
As corporações valorizam mais a auto-estima do que a competência.
Sou presidente da Editora Gente e entrevistei uma moça que respondia todas as minhas perguntas com uma ou duas palavras.
Disse que ela não parecia demonstrar interesse. Ela me respondeu estar muito interessada, mas, como falava pouco, pediu que eu pesasse o desempenho dela, e não a conversa.
Até porque ela era candidata a um emprego na contabilidade, e não de relações públicas. Contratei-a na hora.
Num processo clássico de seleção, ela não passaria da primeira etapa.

ISTOÉ — Há um script estabelecido?

Shinyashiki — Sim. Quer ver uma pergunta estúpida feita por um Presidente de multinacional no programa O aprendiz ?
“Qual é seu defeito?”
Todos respondem que o defeito é não pensar na vida pessoal:
“Eu mergulho de cabeça na empresa.
Preciso aprender a relaxar”.
É exatamente o que o Chefe quer escutar.
Por que você acha que nunca alguém respondeu ser desorganizado ou esquecido?
É contratado quem é bom em conversar, em fingir. Da mesma forma, na maioria das vezes, são promovidos aqueles que fazem o jogo do poder.
O vice-presidente de uma as maiores empresas do planeta me disse:
” Sabe, Roberto, ninguém chega à vice-presidência sem mentir”.
Isso significa que quem fala a verdade não chega a diretor?

ISTOÉ — Temos um modelo de gestão que premia pessoas mal preparadas?

Shinyashiki — Ele cria pessoas arrogantes, que não têm a humildade de se preparar, que não têm capacidade de ler um livro até o fim e não se preocupam com o conhecimento.
Muitas equipes precisam de motivação, mas o maior problema no Brasil é competência.
CUIDADO COM OS BURROS MOTIVADOS.
Há muita gente motivada fazendo besteira.
Não adianta você assumir uma função para a qual não está preparado.
Fui cirurgião e me orgulho de nunca um paciente ter morrido na minha mão.
Mas tenho a humildade de reconhecer que isso nunca aconteceu graças a meus chefes, que foram sábios em não me dar um caso para o qual eu não estava preparado.
Hoje, o garoto sai da faculdade achando que sabe fazer uma neurocirurgia.
O Brasil se tornou incompetente e não acordou para isso.

ISTOÉ — Está sobrando auto-estima?

Shinyashiki — Falta às pessoas a verdadeira auto-estima.
Se eu preciso que os outros digam que sou o melhor, minha auto-estima está baixa.
Antes, o ter conseguia substituir o ser.
O cara mal-educado dava uma gorjeta alta para conquistar o respeito do garçom.
Hoje, como as pessoas não conseguem nem ser nem ter, o objetivo de vida se tornou parecer.
As pessoas parecem que sabem, parece que fazem, parece que acreditam.
E poucos são humildes para confessar que não sabem.
Há muitas mulheres solitárias no Brasil que preferem dizer que é melhor assim.
Embora a auto-estima esteja baixa, fazem pose de que está tudo bem.

ISTOÉ — Por que nos deixamos levar por essa necessidade de sermos perfeitos em tudo e de valorizar a aparência?

Shinyashiki — Isso vem do vazio que sentimos. A gente continua valorizando os heróis.
Quem vai salvar o Brasil? O Lula.
Quem vai salvar o time? O técnico.
Quem vai salvar meu casamento? O terapeuta.
O problema é que eles não vão salvar nada! Tive um professor de filosofia que dizia:
“Quando você quiser entender a essência do ser
humano, imagine a rainha Elizabeth com uma crise de diarréia durante um jantar no Palácio de Buckingham”.
Pode parecer incrível, mas a rainha Elizabeth também tem diarréia.
Ela certamente já teve dor de dente, já chorou de tristeza, já fez coisas que não deram certo.
A gente tem de parar de procurar super-heróis. Porque se o super-herói não segura a onda, todo mundo o considera um fracassado.

ISTOÉ — O conceito muda quando a expectativa não se comprova?

Shinyashiki — Exatamente.
A gente não é super-herói nem superfracassado. A gente acerta, erra, tem dias de alegria e dias de tristeza. Não há nada de errado nisso.
Hoje, as pessoas estão questionando o Lula em parte porque acreditavam que ele fosse mudar
suas vidas e se decepcionaram.
A crise será positiva se elas entenderem que a responsabilidade pela própria vida é delas.

ISTOÉ — Muitas pessoas acham que é fácil para o Roberto Shinyashiki dizer essas coisas, já que ele é bem-sucedido. O senhor tem defeitos?

Shinyashiki — Tenho minhas angústias e inseguranças.
Mas aceitá-las faz minha vida fluir facilmente.
Há várias coisas que eu queria e não consegui.
Jogar na Seleção Brasileira, tocar nos Beatles (risos).
Meu filho mais velho nasceu com uma doença cerebral e hoje tem 25 anos.
Com uma criança especial, eu aprendi que ou eu a amo do jeito que ela é ou vou massacrá-la o resto da vida para ser o filho que eu gostaria que fosse.
Quando olho para trás, vejo que 60% das coisas que fiz deram certo.
O resto foram apostas e erros.
Dia desses apostei na edição de um livro que não deu certo.
Um amigão me perguntou:
” Quem decidiu publicar esse livro?”
Eu respondi que tinha sido eu. O erro foi meu.
Não preciso mentir.

ISTOÉ – Como as pessoas podem se livrar dessa tirania da aparência?

Shinyashiki — O primeiro passo é pensar nas coisas que fazem as pessoas cederem a essa tirania e tentar evitá-las.
São três fraquezas.
A primeira é precisar de aplauso, a segunda é precisar se sentir amada e a terceira é buscar segurança.
Os Beatles foram recusados por gravadoras e nem por isso desistiram.
Hoje, o erro das escolas de música é definir o estilo do aluno.
Elas ensinam a tocar como o Steve Vai, o B. B. King ou o Keith Richards.
Os MBAs têm o mesmo problema: ensinam os alunos a serem covers do Bill Gates.
O que as escolas deveriam fazer é ajudar o aluno a desenvolver suas próprias potencialidades.

ISTOÉ — Muitas pessoas têm buscado sonhos que não são seus?

Shinyashiki — A sociedade quer definir o que é certo.
São quatro loucuras da sociedade.
A primeira é instituir que todos têm de ter
sucesso, como se ele não tivesse significados individuais.
A segunda loucura é: Você tem de estar feliz todos os dias.
A terceira é: Você tem que comprar tudo o que puder.
O resultado é esse consumismo absurdo.
Por fim, a quarta loucura:
Você tem de fazer as coisas do jeito certo.
Jeito certo não existe!
Não há um caminho único para se fazer as coisas. As metas são interessantes para o sucesso, mas não para a felicidade.
Felicidade não é uma meta, mas um estado de espírito.
Tem gente que diz que não será feliz enquanto não casar, enquanto outros se dizem infelizes justamente por causa do casamento.
Você pode ser feliz tomando sorvete, ficando em casa com a família ou com amigos verdadeiros, levando os filhos para brincar ou indo a praia ou ao cinema.
Quando era recém-formado em São Paulo,
trabalhei em um hospital de pacientes terminais. Todos os dias morriam nove ou dez pacientes.
Eu sempre procurei conversar com eles na hora da morte.
A maior parte pega o médico pela camisa e diz:
“Doutor, não me deixe morrer.
Eu me sacrifiquei a vida inteira, agora eu quero aproveitá-la e ser feliz”.
Eu sentia uma dor enorme por não poder fazer nada.
Ali eu aprendi que a felicidade é feita de coisas pequenas.
Ninguém na hora da morte diz se arrepender por não ter aplicado o dinheiro em imóveis ou ações, mas sim de ter esperado muito tempo ou perdido várias oportunidades para aproveitar a vida .

Lona de Escorregar - Level Hard

Não é difícil ver gente que não tem piscina, divertindo-se escorregando em lona molhada e com sabão, ou até mesmo fazendo a mesma coisa na grama. 

Mas para esses amigos, escorregar na lona foi levado à sério, e tornou-se um serious business. Boa dica para as suas próximas férias!

Caminhando pelo Hawaii!!!


Já postei aqui diversos vídeos com trilhas em lugares incríveis, porém o pessoal ia de motocross ou bike. 

Agora esse grupo de amigos postou esse vídeo no Youtube, caminhando por uma trilha tensa em Awa’awapuhi, no Havaí

Uma bela e assustadora paisagem.

Nike lança comercial para a Copa!


A Nike lançou neste dia 02/12 sua nova peça publicitária para a Copa do Mundo 2014. No vídeo vemos craques atuais e consagrados, em uma partida emblemática com os hermanos argentinos. Também é exibido o novo uniforme da seleção brasileira para a Copa.

domingo, 24 de novembro de 2013

Mas eis que chega a roda-viva...



Roda Viva

Chico Buarque

Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente
Ou foi o mundo então que cresceu

A gente quer ter voz ativa
No nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda-viva
E carrega o destino pra lá

Roda mundo, roda-gigante
Rodamoinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração

A gente vai contra a corrente
Até não poder resistir
Na volta do barco é que sente
O quanto deixou de cumprir

Faz tempo que a gente cultiva
A mais linda roseira que há
Mas eis que chega a roda-viva
E carrega a roseira pra lá

Roda mundo, roda-gigante
Rodamoinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração

A roda da saia, a mulata
Não quer mais rodar, não senhor
Não posso fazer serenata
A roda de samba acabou

A gente toma a iniciativa
Viola na rua, a cantar
Mas eis que chega a roda-viva
E carrega a viola pra lá

Roda mundo, roda-gigante
Rodamoinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração

O samba, a viola, a roseira
Um dia a fogueira queimou
Foi tudo ilusão passageira
Que a brisa primeira levou

No peito a saudade cativa
Faz força pro tempo parar
Mas eis que chega a roda-viva
E carrega a saudade pra lá

Roda mundo, roda-gigante
Rodamoinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração





sábado, 23 de novembro de 2013

Toca Raul!!!!

Canto Para A Minha Morte

Raul Seixas

Eu sei que determinada rua que eu já passei
Não tornará a ouvir o som dos meus passos.
Tem uma revista que eu guardo há muitos anos
E que nunca mais eu vou abrir.
Cada vez que eu me despeço de uma pessoa
Pode ser que essa pessoa esteja me vendo pela última vez
A morte, surda, caminha ao meu lado
E eu não sei em que esquina ela vai me beijar
Com que rosto ela virá?
Será que ela vai deixar eu acabar o que eu tenho que fazer?
Ou será que ela vai me pegar no meio do copo de uísque?
Na música que eu deixei para compor amanhã?
Será que ela vai esperar eu apagar o cigarro no cinzeiro?
Virá antes de eu encontrar a mulher, a mulher que me foi destinada,
E que está em algum lugar me esperando
Embora eu ainda não a conheça?
Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho
Que eu quero e não desejo,mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida
Qual será a forma da minha morte?
Uma das tantas coisas que eu não escolhi na vida.
Existem tantas... Um acidente de carro.
O coração que se recusa abater no próximo minuto,
A anestesia mal aplicada,
A vida mal vivida, a ferida mal curada, a dor já envelhecida
O câncer já espalhado e ainda escondido, ou até, quem sabe,
Um escorregão idiota, num dia de sol, a cabeça no meio-fio...
Oh morte, tu que és tão forte,
Que matas o gato, o rato e o homem.
Vista-se com a tua mais bela roupa quando vieres me buscar
Que meu corpo seja cremado e que minhas cinzas alimentem a erva
E que a erva alimente outro homem como eu
Porque eu continuarei neste homem,
Nos meus filhos, na palavra rude
Que eu disse para alguém que não gostava
E até no uísque que eu não terminei de beber aquela noite...
Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho que eu quero e não desejo,mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Vida...

"Palavras duras em voz de veludo.
E tudo muda, adeus velho mundo.
Há um segundo, tudo estava em paz..."




Que vida louca essa, meu Deus? Abençoa meu amado pai!  Dá-lhe forças para se recuperar!!! Eu creio!!!

domingo, 20 de outubro de 2013

Ahhh.... poetinha...

O homem que diz "dou" não dá, 
porque quem dá mesmo não diz
O homem que diz "vou" não vai, 
porque quando foi já não quis
O homem que diz "sou" não é, 
porque quem é mesmo é "não sou"
O homem que diz "tô" não tá, 
porque ninguém tá quando quer

sábado, 19 de outubro de 2013

Rota de fuga!!!


Agora os dois estão juntos e bolarão um plano para fugirem no presídio mais seguro que o mundo já viu!!!

Veja o trailer:



Poetinha, velho saravá!!!



Lembro bem das tardes de domingo lá em casa no início dos anos 90. A gente tinha sempre muita música, conversa e cerveja gelada. Na época, apenas meu pai bebia, mas me permitia lhe acompanhar nas músicas. Foi nesse ambiente que ele me apresentou Vinícius!



Tive muita sorte em ter um pai que me presenteou, desde cedo, com o que considero mais fabuloso em nossa Música Popular Brasileira até então. O repertório vinha com Chico, Caetano, Vinícius, Tom, Gal, Elis, Gil, Toquinho, Baden, Jacob e tantos outros...

Mas Vinícius era Vinícius... talvez com ele apenas Chico tivesse tanta importância. Quando suas músicas tocavam era natural a análise das letras, dos arranjos, da poesia.... ah, poetinha....

Hoje, se vivo fosse, ele completaria 100 anos. Se vivo fosse, completaria mais alguns casamentos, algumas parcerias e uma infinidade de belíssimas novas canções e poesias...

Disso tudo, a mim restaram não apenas as boas lembranças e suas canções, que ainda escuto vez por outra, mas também a espera ansiosa pela chance que terei de apresentar, em breve, o nosso poetinha ao meu filho João Pedro.

Poeta, poetinha vagabundo
Quem dera todo mundo fosse assim como você
Que a vida não gosta de esperar
A vida é pra valer
A vida é pra levar
Vinícius, velho saravá!!!

Torcidas Rivais se Encontram no Elevador!!!


Ideia bem bacana de um canal de TV da Colômbia, para incentivar a seleção para a Copa do Mundo no Brasil no ano que vem. 

Duas torcidas rivais se encontram dentro do elevador e uma pessoa, sem saber de nada, fica temendo uma baita briga.

Quem dera fosse de verdade assim no Brasil!

sábado, 12 de outubro de 2013

A mais nova Pegadinha da LG



Mais uma excelente sacada da LG, ao bolar suas já tradicionais “pegadinhas” para divulgação de novos produtos. 

Uma cabine foi instalada em uma rua movimentada, com os dizeres “Melhore a Performance do seu Smartphone“, e uma abertura para que você colocasse seu celular. 

E quem pensa que apenas brasileiro vai atrás de coisa grátis, se engana. Muita gente acabou colocando o seu celular na cabine, aguardando o que seria feito…

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

A história de Sofia!



Esse curta foi produzido para uma rede gaúcha de farmácias, com o intuito de mostrar a importância das relações e amizades, sejam elas entre os homens ou com os animais. 

Confesso que passei exatamente por isso aqui em casa, com minha gatinha Lina. 

Muito emocionante e esclarecedor!

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Qual vida você escolheu viver?


Esse vídeo retrata a escolha que muitos que tinham tudo para se entregar à morte fizeram, se entregando à vida!!!

Está com problemas? Aprenda com eles e supere-os! Aprenda a conviver com suas limitações e transforme seus obstáculos em rampa de impulsão para novas conquistas!

Nós somos aquilo que fazemos! Passemos então a agir como vencedores! Venceremos certamente! Sempre com humildade, respeito e fé, e sem NUNCA perder o foco e a motivação!

Assista e veja o quanto nossos problemas são pequenos e o quanto podemos superar adversidades que podem se apresentar em qualquer um de nós, a qualquer momento!

Vivamos!!!

Concurso Público em Cariré! Mais de 1.000 vagas! Salários de até 12.000,00!!!




A PREFEITURA MUNICIPAL DE CARIRÉ, lançou edital para inscrições e realização de Concurso Público de ­­­­­­Provas e Provas de Títulos destinadas a selecionar Candidatos para provimento de vagas do Quadro Permanente de Pessoal e Cadastro de Reserva, observadas as disposições constitucionais, e, em particular as normas contidas neste Edital,nas seguintes áreas: 

 

Período de inscrições: 10/10/2013 a 10/11/2013

CargoLocalidadeRemuneraçãoTotal de VagasPNEVagas para Ampla ConcorrênciaCadastro reservaInscrição
AGENTE ADMINISTRATIVO
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,002412348R$ 60,00
AGENTE DE CONTROLE INTERNO
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,001012R$ 60,00
AGENTE DE FISCALIZAÇÃO
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,002024R$ 60,00
AGENTE DE SAÚDE – ESF ARARIÚS - ALTO FELIZ
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO E RESIDIR NA ÁREA DA COMUNIDADE EM QUE ATUAR, DESDE A DATA DA PUBLICAÇÃO DO EDITAL
Cariré/CE
ESF ARARIÚS - ALTO FELIZ
R$ 678,001012R$ 60,00
AGENTE DE SAÚDE – ESF JUCÁ
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO E RESIDIR NA ÁREA DA COMUNIDADE EM QUE ATUAR, DESDE A DATA DA PUBLICAÇÃO DO EDITAL
Cariré/CE
ESF JUCÁ
R$ 678,001012R$ 60,00
AGENTE DE SAÚDE – ESF JURÉ - ANIL
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO E RESIDIR NA ÁREA DA COMUNIDADE EM QUE ATUAR, DESDE A DATA DA PUBLICAÇÃO DO EDITAL
Cariré/CE
ESF JURÉ - ANIL
R$ 678,001012R$ 60,00
AGENTE DE SAÚDE – ESF SEDE I
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO E RESIDIR NA ÁREA DA COMUNIDADE EM QUE ATUAR, DESDE A DATA DA PUBLICAÇÃO DO EDITAL
Cariré/CE
ESF SEDE I
R$ 678,004048R$ 60,00
AGENTE DE SAÚDE – ESF SEDE II
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO E RESIDIR NA ÁREA DA COMUNIDADE EM QUE ATUAR, DESDE A DATA DA PUBLICAÇÃO DO EDITAL
Cariré/CE
ESF SEDE II
R$ 678,003036R$ 60,00
AGENTES DE ENDEMIAS
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,00101920R$ 60,00
ALMOXARIFE
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,004048R$ 60,00
ASSISTENTE SOCIAL
30 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 2.200,002024R$ 120,00
AUXILIAR DE SERVIÇOS
40 H/S
ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,0052349104R$ 40,00
DENTISTA PSF
40 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 2.800,0050510R$ 120,00
DIGITADOR
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,0050510R$ 60,00
EDUCADOR FÍSICO
40 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 1.200,002024R$ 120,00
ENFERMEIRO HOSPITAL
40 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 2.500,0050510R$ 120,00
ENFERMEIRO PSF
40 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 2.500,0050510R$ 120,00
ENGENHEIRO CIVIL
40 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 4.000,002024R$ 120,00
ESTAFETA
40 H/S
ENSINO FUNDAMENTAL COMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,004048R$ 40,00
FARMACÊUTICO
40 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 2.500,001012R$ 120,00
FISCAL DE OBRAS E POSTURAS
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,002024R$ 60,00
FISCAL DE TRIBUTOS E ARRECADAÇÃO
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,002024R$ 60,00
FISIOTERAPEUTA
30 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 2.200,002024R$ 120,00
FONOAUDIÓLOGO
30 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 1.800,001012R$ 120,00
GARI
40 H/S
ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,004023880R$ 40,00
MÉDICO HOSPITAL
40 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 12.000,0050510R$ 120,00
MÉDICO PSF
40 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 12.000,0050510R$ 120,00
MOTORISTA B
40 H/S
ENSINO FUNDAMENTAL COMPLETO - HABILITAÇÃO CATEGORIA B
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 750,0050510R$ 40,00
MOTORISTA D
40 H/S
ENSINO FUNDAMENTAL COMPLETO - HABILITAÇÃO CATEGORIA D
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 1.000,00101920R$ 40,00
NUTRICIONISTA
40 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 1.800,002024R$ 120,00
OPERADOR DE MOTONIVELADORA
40 H/S
ENSINO FUNDAMENTAL COMPLETO - HABILITAÇÃO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 1.500,002024R$ 40,00
OPERADOR DE RETROESCAVADEIRA
40 H/S
ENSINO FUNDAMENTAL COMPLETO - HABILITAÇÃO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 1.300,002024R$ 40,00
PEDREIRO
40 H/S
ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 850,003036R$ 40,00
PINTOR
40 H/S
ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 800,002024R$ 40,00
PROFESSOR – CIÊNCIAS HUMANAS
20 H/S
NÍVEL SUPERIOR EM PEDAGOGIA OU LICENCIATURA PLENA NA ÁREA
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 882,2790918R$ 120,00
PROFESSOR – CIÊNCIAS NATURAIS
20 H/S
NÍVEL SUPERIOR EM PEDAGOGIA OU LICENCIATURA PLENA NA ÁREA
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 882,27101920R$ 120,00
PROFESSOR – EDUCAÇÃO INFANTIL - ENSINO FUNDAMENTAL I
20 H/S
NÍVEL SUPERIOR EM PEDAGOGIA OU LICENCIATURA PLENA NA ÁREA
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 882,2751348102R$ 120,00
PROFESSOR – LINGUAGENS E CÓDIGOS
20 H/S
NÍVEL SUPERIOR EM PEDAGOGIA OU LICENCIATURA PLENA NA ÁREA
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 882,27101920R$ 120,00
PSICÓLOGO
40 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 2.200,002024R$ 120,00
RECEPCIONISTA
40 H/S
ENSINO FUNDAMENTAL COMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,002024R$ 40,00
TÉCNICO EM ENFERMAGEM
40 H/S
NÍVEL MÉDIO COMPLETO COM CURSO TÉCNICO E REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,002011940R$ 60,00
TERAPEUTA OCUPACIONAL
30 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 1.800,002024R$ 120,00
VETERINÁRIO
40 H/S
NÍVEL SUPERIOR COM REGISTRO PROFISSIONAL
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 2.200,001012R$ 120,00
ZELADOR DE PATRIMÔNIO
40 H/S
ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO
Cariré/CE
CONFORME A NECESSIDADE
R$ 678,004023880R$ 40,00
36416348728
 

Para acessar o Edital basta clicar aqui.!

 

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Pegadinha do Momento!


Lembra do filme “Carrie, a estranha” da década de 70, mas que ainda faz sucesso?!? Essa pegadinha é baseada nele. Pra ser sincero, é uma ação de marketing, já que o filme será relançado em breve. 

Uma menina em um Café tem uma crise nervosa após um cliente esbarrar nela e derrubar seu café, e acaba revelando seus poderes telecinéticos, arremessando pessoas e objetos.

Quem entra no Café não faz nem ideia do que irá presenciar, o que deixa o vídeo ainda mais divertido. 

Assista pois ficou muito bacana a produção!






quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Queima de Fogos Nas Arábias!




Em uma data comemorativa na Arábia Saudita, seja por fechar um novo contrato de petróleo ou o enlace com a vigésima oitava esposa de um amigo, uma queima de fogos é obrigatória. 

Porém, é um pouco diferente aqui do Brasil. 

Quer dizer, até parece com as do Morro do Rio, mas aqui não se usa turbante, muito menos tem (tanta) BMW zero na garagem.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Tocando Bateria no Celular!




Esse é o João Raphael, um jovem músico de Campo Grande, que resolveu mostrar que também entende de tecnologia. 

Utilizando o Real Drum para iPhone (um dos vários aplicativos que simulam instrumentos musicais), Raphael fez o acompanhamento da música Sheet Child O` Mine do Guns N` Roses, tocando bateria em seu celular.

Como uma criança cega vê o mundo?



O curta de animação japonês “Out of Sight – Fora da Vista“, mostra de um jeito inovador, como uma criança cega enxerga e descobre o mundo ao seu redor.

Simplesmente fantástico!!!

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Seria cômico se não fosse trágico!


Ainda adianta plantar o bem?




Muitos de nós ficamos angustiados quando nos deparamos com tantas pessoas más, egoístas, que preferem ferir a curar. Preferem desconstruir do que somar. Complicar a vida dos outros em vez de facilitar.

Já parou pra pensar do quê que adianta fazer a coisa certa quando tantos estão preocupados apenas com seus próprios umbigos, passando por cima de tudo e de todos em busca de dinheiro, sexo e poder?

Já se pegou desiludido com a vida, achando que suas (boas) ações não servem de nada, exceto para que você sirva de chacota para o outros?

Já se viu questionando suas próprias decisões, tomadas na maioria das vezes colocando o outro em primeiro lugar? Outro esse que muitas vezes não retribui, nem nunca retribuirá, a gentileza?

Esse vídeo*, um dos mais bonitos que já vi, consegue reanimar nossos corações, e provar que devemos SEMPRE plantar o bem! Ele sempre voltará! Se não aqui pelas mãos dos homens, mas um dia, pelas mãos de Cristo!

Continuemos firme em nosso propósito de tentar agir corretamente. Somos falhos, humanos, nem sempre conseguiremos, mas continuemos tentando, pois certamente colheremos o que plantamos!

É no que acredito!

*Esse vide foi feito para uma campanha da empresa de telecomunicações TrueMove H, na Tailândia.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Que tipo de médico o Brasil precisa?



Apesar do lançamento atrapalhado, o programa Mais Médicos tem se consolidado como uma hábil jogada do governo federal. As entidades que representam a categoria médica foram alvo fácil pela miopia política causada por lutas trabalhistas.

Em pouco tempo e com a ajuda de atos irracionais como o chamado à omissão de socorro do agora contrito presidente do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais ou o indignante protesto contra os colegas cubanos dos médicos de Fortaleza, os médicos conseguiram se isolar da maioria da população e servir de combustível para aquecer a aprovação do governo nas pesquisas de opinião. Mas esse ambiente de polarização deixa de lado uma pergunta fundamental: que tipo de médico que o Brasil precisa?

A visão do estudante de medicina brasileiro é frequentemente resultado de um sistema que tem coerência interna na forma de enxergar seu processo de formação:

- a seleção é feita através de provas ultracompetitivas que demandam esforços adicionais no estudante;

- a carga horária é maior que a de seus colegas de outras faculdades, atende pacientes do Sistema Único de Saúde desde o terceiro ano e, se estiver em uma universidade pública, corresponde à justa retribuição pela pesada carga tributária paga no passado por seus pais.

Nessa ordem de ideias, parece absolutamente justo que a sociedade valorize social e economicamente esse imenso e longo esforço feito por esse médico quando formado.

Mas a coerência interna dessa visão não resiste à análise crítica, externa à categoria:

- os exames de admissão são realizados com perguntas sobre conteúdos que não fazem parte do ensino médio-padrão. Isso serve para excluir boa parte da população - quem duvidar, veja uma prova da FUVEST;

- os estudantes deveriam mostrar gratidão com os pacientes do SUS que realmente são compelidos a colaborar para sua formação como médicos – para um paciente do hospital universitário, se recusar a ser examinado por estudantes não é um a opção;

- o maior tempo que ocupam os estudantes de medicina nos seus estudos não significa que os esforços de estudantes de outros cursos sejam menores – a carreira de medicina requer uma carga horária extensa por necessitar de treinamentos técnicos nos hospitais. No entanto, outras carreiras exigem pesadas cargas acadêmicas e de criação que podem ser executadas em ambientes fora da universidade;

- não há sistemas de avaliação padronizados que demonstrem o aproveitamento desses estudos – afinal para o paciente o que importa é o resultado da formação e não a dificuldade do vestibular;
 
- os impostos pagos pelos pais não são poupança para pagar os futuros estudos dos filhos na universidade pública – se os pagaram é porque gabolsnharam mais renda que seus concidadãos. Antes, os estudantes de medicina de universidades públicas deveriam se considerar bolsistas subsidiados por muitos outros cidadãos que pagam impostos indiretos quando compram os itens de subsistência mais básicos – para saber o valor da bolsa, podem perguntar o valor de uma faculdade particular;

Tomara que algum dia essas bolsas de estudo de medicina de universidades cheguem às camadas mais pobres e que possamos afirmar com orgulho que nossas médicas parecem com suas mães empregadas domésticas e nossos médicos são a cara de seus pais pedreiros.

Cabe ainda assinalar que os que estudam em faculdade particular pagam pela infraestrutura docente, mas o custo para instituições de saúde e a colaboração dos pacientes não é necessariamente refletido nos vultosos boletos de matrícula.

O ex-ministro da saúde Adib Jatene forneceu a chave do problema há algumas semanas: as escolas médicas do Brasil estão focadas na formação de candidatos a especialistas e não em clínicos gerais ou “especialistas em gente”, segundo suas palavras.

Assim, um estudante de medicina no Brasil que desde o vestibular anseia virar ortopedista, quando faz estágio por obstetrícia sabe que o conhecimento sobre como fazer o atendimento pré-natal adequado só será necessário para ele ser aprovado  no estágio e depois no exame de ingresso na residência de ortopedia. Em outras palavras, nunca fará uso prático desse conhecimento.

Portanto, focará precocemente seus esforços naquilo que será seu futuro, participará de grupos de estudo especiais como a Liga da Ortopedia, e se não for aprovado no exame de residência na primeira oportunidade, logo após formado, seguirá tentando, no entanto, a fazer um cursinho (sim, existem cursinhos para exame de residência)  e dar alguns plantões para sobreviver (de preferência numa clínica ortopédica).

E onde leram atendimento pré-natal, podem ler também tratamento de tuberculose, esquemas de imunização, educação para prevenção de complicações da diabetes e outras atividades de atenção básica que se esperam de clínicos gerais.

O sistema está desenhado para que os grandes esforços que, sem dúvida, foram feitos pelos estudantes para se formar como médicos sejam focados em realizar uma especialização e não em ser bons clínicos gerais. Assim, nosso ortopedista formado após inúmeras noites de plantão termina encaminhando seu paciente ao colega dermatologista para tratar uma micose superficial da pele que não representaria desafio algum para qualquer clínico geral.

Um dos modelos aplicados em quase toda América Latina para aliviar a falta de médicos no interior dos países, o serviço social obrigatório, traz como feliz efeito colateral uma mudança de atitude no estudante de medicina.

O mesmo estudante que anseia em ser ortopedista no México ou Equador sabe, desde que é aprovado no vestibular, que deverá retribuir à sociedade pelo apoio dado por pacientes e instituições para sua formação, trabalhando em cidades do interior, em locais alocados pelo governo.

Nesse local, ele deverá atender a todos os pacientes que o procurarem, seja por malária ou por crise de asma. Dessa forma nosso futuro ortopedista mexicano ou equatoriano prestará grande atenção a todas suas aulas e práticas já que a expectativa de aplicação desse conhecimento é real, mesmo que depois ele seja aprovado para a especialidade de ortopedia, sabe que sua verdadeira prova como clínico geral está com os pacientes que ele deverá atender durante o período de serviço social obrigatório. E quando se tornar ortopedista, ainda continuará a ser um clínico geral que poderá solucionar problemas simples de seus pacientes sem precisar encaminhar a outro especialista.

Mas é possível ir além nessa discussão sobre a formação médica no contexto de nossa sociedade atual. Com que frequência os médicos informam a seus pacientes sobre o significado de seus diagnósticos, as alternativas terapêuticas e os convidam para fazer uma escolha conjunta sobre o manejo de sua doença antes de preencher o receituário?

O reconhecimento do indivíduo, independentemente de seu nível socioeconômico, como sujeito autônomo de direitos deve entrar também na porta de hospitais e ambulatórios. Esse é o verdadeiro significado dos esforços de humanização que, de forma valorosa, já fazem muitíssimos pioneiros, inclusive no SUS, mas que ainda não conseguem permear por completo as rígidas estruturas de muitas faculdades de medicina e hospitais universitários que continuam a focar na técnica e deixam a ética e a humanização como aulas teóricas, longe dos leitos e dos consultórios.

A discussão sobre que tipo de médico que o Brasil precisa ainda deve ser construída e essa é a oportunidade que as entidades médicas têm para virar o jogo e retomar sua interlocução com a sociedade. Alguns pontos dessa discussão foram esboçados anteriormente: o médico brasileiro deveria ser um excelente clínico geral antes de virar especialista. Deve enxergar o serviço social no interior como um incentivo para sua formação e valorizar seus pacientes como sujeitos autônomos de direitos.

A partir dessa discussão sobre o que se espera concretamente de um clínico geral, as entidades médicas poderão rever queixas até o momento nebulosas como o que significa em termos detalhados uma condição aceitável de trabalho para atendimento básico, dadas as diversidades geográficas e sociais do Brasil, e como avaliar se a formação de médicos brasileiros ou de outras nacionalidades coincide com esse perfil desejado de clínico geral.

Dessa forma o nível da discussão vai transcender os interesses eleitorais do governo e trabalhistas dos médicos para dar vez à construção de uma alternativa sustentável de atenção básica que contribua na materialização do direito constitucional à saúde para todos os brasileiros.

Ricardo Palacios é médico, formado no exterior com o diploma devidamente revalidado no Brasil, brasileiro naturalizado. Foi consultor temporário para projetos de pesquisa da Organização Mundial da Saúde e agora estuda Ciências Sociais na Universidade de São Paulo. As opiniões expressadas neste artigo não representam a posição de instituição alguma.

Fonte: www.cartacapital.com.br 


MINHA OPINIÃO

Dentre os inúmeros textos que já li sobre o tema este foi o que julguei mais sensato.

Conheço muitos médicos. Poucos são a favor deste programa. Os que são, curiosamente, trabalham na Saúde Pública. Conhecem de perto as necessidades e anseios dos verdadeiros beneficiados com este programa.

Dos inúmeros que já vi se manifestando contra, a maioria nunca trabalhou nem pretende trabalhar na Estratégia Saúde da Família. Por quê? Pois não se importam com isso. Preferem ficar ricos. Se eu os critico? De forma alguma! Estudaram muito e têm mesmo é que irem atrás de seus sonhos! Se o sonho é enriquecer, que o façam! 

Agora por favor não venham, de uma hora pra outra, alegar que se importam com a outra ponta da pirâmide! Dizer que os médicos estrangeiros vão tratar do nosso povo de forma ruim quando você, médico, brasileiro, simplesmente optou por não fazer isso é no mínimo contradição, pra não dizer hipocrisia!

Eles não fizeram o REVALIDA? Nem você! Eles não passariam? E quem garante que você passaria?!?!?

- Ah, mas eles são estrangeiros, logo, devem fazer o REVALIDA pra provar que têm qualidade!

Se os médicos brasileiros não precisam do REVALIDA então não existem meios de provar quem é mais qualificado!  E se a exigência é unicamente pelo fato de serem estrangeiros, então o problema é mais grave. Preconceito, xenofobia e outras coisas do gênero, na minha opinião, é caso pra polícia!

Por último, vejo muitos dizerem que não adiantam médicos sem estrutura, sem hospitais qualificados, enfim, sem a tecnologia! A estes eu pergunto o quê que era a medicina há 50 anos? Não existiam médicos? Eles não podiam fazer nada? Se não há estrutura nem médicos, ao menos agora, teremos médicos! Penso que um médico é melhor do que nenhum médico! Simples assim!

No mais, quero deixar claro que torço muito para que esse programa dê certo! Torço para que abram mais e mais Cursos de Medicina! Torço para que tenhamos em breve, tantos médicos que possamos, finalmente, ter saúde para todos! E que finde de uma vez por todas essa ganância por dinheiro, poder e status que tanto maltrata a todos nós!

É o que penso!